Relatório mostra que um em cada cinco homicídios foi praticado por policiais…

Publicado por Griot Brazil em

Bom! Infelizmente estamos aqui para mais um vez falar dos já habituais relatórios da Anistia Internacional que sempre nos traz o óbvio e assim como a ONU se limitam em fazer e divulgar relatórios e, quando muito uma campanha mal elaborada feita por publicitários brancos de classe média que julgam saber demais, quando na verdade não passam de embusteiros. Infelizmente, essa é a nossa realidade na cidade maravilhosa…27-violencia-policialTodavia, não estamos aqui para atacar os relatórios ou mesmo os pareceres dessas entidades filantrópicas ou órgãos do governo Norte Americano como a ONU.  Nosso papel é outro, é alertar a população negra sobre FATOS que acontecem cotidianamente em nossas comunidades nada mais. Acho que dizer que a polícia é assassina não é novidade para ninguém, pois todos já sabemos disso a tempos, dizer que eles matam inocentes também não. A questão que nos cabe é alertar a população negra e pobre não coincidentemente que estamos as vésperas de grandes eventos e, como sempre acontece os órgãos policiais se tornam mais letais do que nunca. Então, fiquem atentos. Evitem estarem desprevenidos ou distraídos em áreas onde a incidência de confrontos costumam acontecer com mais frequência. Esqueçam os fones de ouvidos,  tentem não andarem distraídos ou correrem por qualquer razão. Em caso de confronto procurem se abrigarem em lojas ou atrás de postes caso não haja outro no local, outra alternativa é jogar se no chão para que assim possa diminuir o risco de serem atingidos. Não se escondam atrás de carros pois o projétil de fuzil pode atravessar e atingi-los mesmo assim, fiquem com o corpo de lado se encontrarem um post ou uma arvore, pois isso diminui sua área de atrito. Bom! Dito isso, vamos ao relatório da Anistia Internacional

Em abril deste ano, ao menos 11 pessoas foram mortas pela polícia: uma dessas foi Matheus Moraes, de 5 anos, atingido durante uma operação em Magé, no último dia 2. Para a Anistia, a proximidade da Olimpíada aumenta a preocupação com novas vítimas. Em 2014, quando o Brasil sediou a Copa do Mundo, a polícia matou 580 pessoas no estado, 40% mais do que em 2013. Em 2015, o número aumentou para 645 mortos.Segundo o documento, na capital, 307 pessoas foram mortas pela polícia no ano passado.

Para Atila Roque, diretor-executivo da Anistia Internacional Brasil, apesar da promessa de uma cidade segura para sediar os Jogos, as mortes decorrentes de operações policiais têm crescido. “A maior parte dos homicídios cometidos pela polícia não foi sequer investigada”, denuncia. “As respostas das autoridades são insuficientes”.

Apesar dos dados, a Anistia afirma que não é possível relacionar o aumento dos homicídios cometidos por policiais com os preparativos para os Jogos Olímpicos, mas afirmou que há uso excessivo da força, violência e impunidade que colocam em xeque as instituições responsáveis pela segurança pública.Segundo a Anistia, as vítimas são, majoritariamente, jovens, negros, moradores de favelas e periferias.

Jorge Barbosa, diretor do Observatório de Favelas, que luta diariamente contra abusos e arbitrariedades cometidas pelo poder público, concorda com o levantamento da Anistia. “As vítimas são, em sua maioria, jovens e crianças”, conta. “O que a gente entende é que a polícia tem que mudar de postura”, destaca o ativista.

Fonte: Jornal O Dia
 
Por: Afro21
 


0 comentário

Deixe aqui o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: