A África cosmopolita e a nova África do Sul…

Publicado por Griot Brazil em

O que lhe vem a mente quando lhe falam de África? Por acaso não seria leões, elefantes, zebras, macacos e toda sorte de animais selvagens, seria? Durante muito tempo acreditamos nessa anedota contada por europeus e seus descendentes mal intencionados. Ao mesmo tempo que eles nos diziam que a África é um continente selvagem, bárbaro e atribuíam valores  e qualidades inquestionáveis a tudo quem vem da Europa ou dos Estados Unidos. Porque isso? Existem inúmeras explicações e uma delas é tirar vantagem da nossa ignorância a respeito do nosso próprio continente de origem. A segunda, é atacar nossa auto-estima e diminuir assim nossa resistência, nos forçando a aceitar a cultura europeia que nunca nos levou em consideração.  E com isso, nos fazem pensar que ela é única cultura civilizatória do mundo. Um grande erro.

Para começar a navegar pela África cosmopolita que vem sendo propositalmente ignorada pelo mundo ocidental, com seus valores pautados pela exclusão. A África do Sul, é a nossa parada. Até por ser a região em que segundo historiadores, foi o berço da nossa civilização. Falar de África tem sido sempre complicado, porque o senso comum repleto de limitações e preconceitos, não raro ignora que tenha havido alguma civilização no continente que deu origem ao homo sapiens. Outra coisa que historicamente vem sendo ignorada nos países africanos são suas riquezas que durante séculos foram surrupiadas e expropriadas por saquiadores e ladrões europeus e americanos.

Web Hosting Outro grande equivoco que se comete é reduzir a história dos povos sul africanos a chegada do opressor ocidental. Não, isso é muita prepotência e arrogância, mas infelizmente sabemos que eles sempre agiram e continuaram agindo dessa forma, até porque a cultura deles historicamente tem sido uma cultura de saque e pilhagem.Um site escreveu o seguinte sobre a história passada e atual da África do Sul:  Leia AQUI Cidade do Cabo – Se a Europa sustentou, por séculos, a condição de centro do mundo, a África do Sul era algo como uma esquina. Por ali passaram, do século 15 ao 17, algumas das navegações mais importantes para a descoberta do Oriente, que deram ao ponto mais ao Sul da África o nome de Cabo das Tormentas (Bartolomeu Dias, 1988) e, depois, Cabo da Boa Esperança, até a região ser colonizada e batizada como Cidade do Cabo, com o estabelecimento dos holandeses (1652).Quatro séculos depois, a cidade mais populosa da África do Sul (2,6 milhões) volta a ocupar protagonismo no mapa, não mais como passagem, mas como um destino para turistas do mundo todo, oportunidade de emprego para outros países africanos, além de novo endereço de artistas, designers, chefs de cozinha e investidores. Eles aportaram ali nos últimos anos, ajudando a reconstruir a paisagem de uma das cidades mais divididas e consumidas pelo apartheid – regime de segregação vigente até 1994. Vemos também que ao contrario do Brasil a África do Sul, tem utilizado bem o legado da copa do mundo e foi a partir desse evento esportivo que mobiliza pessoas do mundo todo para a cada 4 anos celebrar a arte de jogar futebol. Foi a partir dai que se começou a ver que o pais em questão tinha um enorme potencial turístico e que isso era pouco explorado.

Este mesmo site a ainda fala sobre os motivos que levaram a Cidade do Cabo figurar entre as grandes cidades turística do mundo atual: O processo de modernização foi impulsionado com a Copa do Mundo’2010 e acelerou em 2014, quando a cidade foi eleita capital mundial do design e principal lugar do mundo para se visitar por publicações como The New York Times (2014) e The Telegraph (2016). O Estado de Minas mostra por que a Cidade do Cabo é uma das mais efervescentes da atualidade.

Por: Prettu Junior


0 comentário

Deixe aqui o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: