A seletividade das comoções humanas…

Publicado por Griot Brazil em

As seletividade nas comoções humanas sempre existiu tanto no Brasil como no mundo, e provavelmente continuara existindo, até porque uma boa parcela da humanidade insiste em permanecer estagnada num período histórico. Uma boa parte da branquitude brasileira é exemplo disso, eles escolheram permanecer no período histórico que data do século XVI ao século XIX. Período este que envolve matança, estupro, castigos corporais, ódio, trabalho forçado, desumanização e principalmente o endeusamento da cor branca. Essa escolha tem sido constantemente manifestada nas redes sociais em formas de hastags ou filtros, ou seja é uma escolha consciente. Não vamos debater neste artigo a origem desse desejo sádico e nem o porque de tal escolha. Falaremos apenas sobre os resultados catastróficos de uma escolha pelo passado em detrimento do presente e do futuro.

Num artigo bem oportuno uma irmã que eu admiro muito por sua garra e determinação escreveu o seguinte artigo: ” Quando a dor é preta, não viraliza”, eu li e entendi o que a irmã Preta Rara quis dizer com essa afirmação. Sim, existe uma seletividade gratuita nas escolhas ou na definição do que deve ou não ser considerado importante ou mesmo urgente, e claro, a dor do homem e da mulher preta, não esta incluída nesta pauta. Não esta porque o que comove de fato é a dor daqueles que são considerados “seres humanos” completos e definitivamente os pretos não estão e nem nunca estiveram inseridos nesta classificação.  É por isso, que o incêndio na Catedral de Notre Dame, comoveu e gerou os famosos filtros de Facebook, banner no Instagram, hashtags, bombada no Twitter, etc, etc. O resultado do incêndio Segundo o jornal francês Le Monde, é o seguinte: – não há registro de mortes decorrentes do incêndio, mas dois policiais e um bombeiro envolvidos na operação ficaram feridos. Leia mais em: BBC News.  Já no caso da tragédia africana o resultado foi exatamente, 518 mortos e 517 casos de cólera após a tragédia. O Zimbábue registrou 181 mortes, e o Malawai, 59. O balanço total de vítimas após a passagem do ciclone tropical pelo sudeste da África chega a 758, Leia mais em: Veja.

Apesar disso não me surpreendo com a seletividade dos brancos e seus meios de comunicação, muito menos com essa noção esdruxula do que é, e não é noticia. Agora se eles não falam e nem se importam, nós negros temos a obrigação moral de nos importarmos e infelizmente não é o que eu vejo nas mídias sociais. Uma meá-culpa até caberia se não fosse o trabalho constante e massivo perpetrado por esses mesmos meios com o objetivo de deslegitimar qualquer projeto que  proponha a emancipação dos povos afro-diaspóricos. O projeto de lavagem cerebral é tão intenso que não raro vemos a reprodução fidedigna desse conceito eurocêntrico de valores sócio-raciais na boca de pessoas negras influentes ou não.

Por: Prettu Júnior


0 comentário

Deixe aqui o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: