A musica popular brasileira nunca foi tão critica e racional quanto na era dos quatros revolucionários paulista. Jovens negros suburbanos que encontraram na arte uma forma legitima de se manifestar e protestar. Fizeram amigos e colecionaram inimigos e fãs enlouquecidos. Uma trajetória atípica num mundo hostil e covarde. Liderados por um líder questionador e idealista eles criaram sua própria estética e estilo de vida

As influencias foram varias tanto no estilo de vida quanto na maneira de se comportar e se vestir. Eu posso ver a influencia de NWA, Niggas With Attitude, o revolucionário grupo gangsta rap de meados dos anos 80, que trouxe um novo nível de consciência da vida cotidiana no centro-sul de Los Angeles e por que não dizer para os subúrbios dos grandes centros urbanos do mundo.  Fizeram inúmeras músicas que ficaram famosas como ” Straight Outta Compton “, “Foda-se a polícia” e ” Dopeman “, para citar alguns. Essas músicas descreviam as coisas que acontecem na vida cotidiana no South Central LA. Os membros incluíam Ice Cube, Dr. Dre e o falecido Eazy E, (que morreu vitimado pela AIDS), para citar alguns. Sua música não só soava muito boa, mas também tinha uma mensagem sobre gangues e violência de gangues.  Todavia, os “Negros Com Atitudes” americanos não foram as unicas possiveis influencias de gigantes brasileiros. Conseguimos ver também a influencia do 2Pac em ” Negro Drama” no disco mais foda que essses caras já fizeram: NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO DIA.

Assim como NWA, os Racionais também são um  grupo de rap dos anos 80, que revolucionou a cena underground no Brasil e possivelmente em boa parte do mundo. A estética urbana maloqueira, rebelde e pouco preocupada com a estética segregacionista das elites brasileira foi um marco na história desse imenso Brasil Varonil. 

A touca, o gorro, o boné, os tênis, pulseiras, cordões e todos aqueles acessórios facilmente encontrados nos clipes e nos shows de rap no Brasil e no mundo sempre foram a marca de um crivo racial. Essa estética marginal que as elites farsantes e pouco originais sempre virão com maus olhos transformou-se na estética urbana afro-diásporica e mudou todos esses conceitos negativos que a branKKKitude tanto exalta.

Racionais soam novos ainda hoje, mesmo não tendo a mesma agressividade dos tempos de SOBREVIVENDO NO INFERNO, um disco revolucionário que trouxe a estética suburbana para dentro da pauta dos grandes meios de comunicação. Não só. Também trouxe vários elementos da cultura maloqueira suburbana para o centro do debate. Depois desse disco o cenário underground jamais seria o mesmo.

Esse foi um período bastante produtivo para as camadas pobres e esquecidas das periferias das grandes cidades brasileira. Depois do surgimento da estética negra suburbana moderna, podemos dizer que a autoestima da negrada estava pronta para dar um novo rumo na luta por seus direitos civis, no pais menos democrático em termos raciais no mundo.

Por: Gabriell X