Racismo, xenofobia e amores frustrados…

Publicado por Griot Brazil em

Nesses tempos moderno onde indivíduos do século 20, com mentalidade do século 19, vivendo no século 21, e, expondo suas opiniões medievais em aparelhos de ultima geração. Nesses tempos em que o racismo continua a nortear os rumos da humanidade. É inegável que a evolução do homem se deu mais exteriormente do que interiormente o que é realmente lamentável.  Os ditos tipos modernos não passam de embustes sociais, mascaras criadas para dizerem que são civilizados, muito embora reproduzam valores ultrapassados com a mesma destreza com que vão as compras nos shopping centers.  Nesse contexto um grupo social se destaca de uma maneira muito peculiar. Analisando os comportamentos racistas que estão em voga no momento, entendi que uma parcela considerável dos excludentes raciais são Gays e lésbicas.  Não, não  estou brincando e para minha surpresa ainda maior vi que esse panorama só tende a se agravar. Principalmente agora que tivemos a eleição do desprezível ser das trevas em pessoa. A questão aqui não se trata de ser gay ou hétero, não tem a ver com orientação sexual e sim com atitudes.  Compreendi nessa pesquisa que tanto os gays brancos como os gays negros trabalham para manutenção do sistema em vigor, ou seja, para que o homem branco hétero se perpetue no poder.

Claro que isso não é uma regra. Acho que num país com um mínimo de boa vontade para com o livre pensar, isso nem deveria ser dito, mas estamos no Brasil e toda cautela é pouca.  São atos pensados? são atos impensados? Isso é uma incógnita, mas ainda não vi um só gay que não exalte em seus discursos acalorados sobre beleza, homens louros, alto com olhos azuis. Não gosto de apelar para o senso comum e muito menos analisar por uma única lógica por isso tendo a estender os meus textos. O racismo é sistémico, então, todos estamos de alguma forma sendo norteado por ele. Os descriminados lutam por igualdade de direito os discriminadores para que tais direitos não signifique uma mudança de paradigma e assim por diante. Vide a quantidade absurda de votos que o Sr. Jair Bolsonaro teve no 2° turno das eleições de 2018. Claro que muito dos seus eleitores gays e héteros vão alegar que votaram nele porque é contra a corrupção e que não aguentava mais ver o seu país nadando na lama. Se isso fosse verdade eles não estariam mais apoiando tal candidato a partir do memento que ele nomeou vários corruptos declarado para seu governo, inclusive parece que até o Temer já arrumou um jeitinho para se encaixar nesse pseudo governo salvador da pátria.

Agora peguemos como exemplo a Rede Globo. Todos sabem que quem manda lá são aqueles coroas gays racistas. Um deles até escreveu um livro bastante controverso. Calma! Não estou dizendo que o Ali Kamel é gay, nem que não até porque eu não o conheço. Todavia se for também não estou nem ai para sua orientação sexual, eu só não gosto da arrogância e demagogia do mesmo. Entendo que essa emissora tem esse propósito muito bem definido em sua programação. A mensagem é muito clara, no topo da cadeia alimentar esta o homem branco hétero objeto de disputa de mulheres brancas e negras e gays brancos e negros o resto é o resto. Ainda nesse panorama encontramos os estilistas de moda que também seguem a mesma lógica racista, e claro, modelos negros tem que fazer passeata se quiser arrumar trabalho mesmo que seja para ser coadjuvante. Nas áreas onde os homens sexuais tem relativa predominância os profissionais pretos encontram muita dificuldade para se firmar. Não quer dizer que os gays são mais racistas que os héteros, mas que surpreendentemente eles são iguais aqueles que eles de alguma forma criticam.

Por: Simone Raye


0 comentário

Deixe aqui o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: