Representatividade Importa…

Publicado por Griot Brazil em

Por 130 anos exigimos estar lá e termos as mesmas oportunidades e as mesmas chances, sem que a cor de nossa pele influenciasse como política de ‘boa aparência” ou da mais recente forma de nos limar de um tratamento justo e igualitário com “fulano/a não tem o perfil dessa empresa”. Isso nunca quis dizer que temos de ser os santos, os anjos, os que nunca erram.

Um/a subiu, chegou, e logo a sociedade fica esperando um passo em falso, o primeiro erro que ele/a vai cometer pra em seguida, com o dedo em riste, dizer a famosa frase ~Negro/ quando não caga na entrada , defeca na saída ~ Com isso, nossa comunidade também adquiriu o hábito de ficar com a barriga dolorida de ansiedade, torcendo para que aquele/a não erre jamais, como se não bastasse todo o caminho espinhoso a percorrer, lutar 100 vezes mais para sermos aceitos e respeitados e quando atingirmos aquele patamar, saber que brancos estão esperando o primeiro deslize para apontar que ‘não deviam ter confiado em um/a negro/a’ e ao mesmo tempo sentir temor de ser criticado pela comunidade negra como se cada um que subisse, tivéssemos o dever de limpar a honra, mantermos pura e casta a nossa dignidade humana.
Em toda a história dos europeus, dos brancos como um todo, quer seja como reis, atores, presidentes, políticos de quaisquer naturezas, como ser humano que são, cometeram erros horríveis e acertaram outros tantos e não se vê a comunidade branca exigindo punição ou os colocando diante de seus descendentes, de suas crianças, como exemplos a não serem seguidos ou os apontando como ‘O Branco que sujou nossa raça”. A eles é sabido que tem o direito de acertar ou errar e tudo será perdoado. Afinal, são humanos e humanos erram e acertam. Porque exigimos de nossa comunidade, dos nossos, que sejam milimetricamente, exímios fazedores, propagadores e viventes da mais absoluta perfeição humana?
Ah, nós temos Netinho de Paula que esporrou uma mulher uma vez. ~Teje morto e proscrito!- Ele perdeu a eleição por esse motivo no mesmo dia em que o ator branco, Dado Dolabella ganhava1 milhão de reais em um reality show por votos da população., mesmo tendo martelado a cara de 4 mulheres. E temos o Celso Pitta, ex prefeito negro de São Paulo, que deixou um livro de memórias falando como foi usado e desenvolveu até um câncer e nem morrendo no dia 20 de novembro, dia da Consciência Negra, jamais foi ou será perdoado. – Tá morto e também proscrito ~porém seu mentor, Paulo Maluf, continua sendo eleito, mesmo tendo seu nome na lista da Interpol e um dos políticos mais corruptos que esse país já viu. 44 presidentes brancos nos EUA fizeram todo tipo de imundices e atrocidades, não são apontados como um ‘mal exemplo a serem seguidos pelas crianças brancas do mundo”, muito pelo contrário, eles foram e eles são presidentes e com seus erros ou acertos, tem salvo conduto humano para cometerem seus atos bons e maus. Todos concordam no mundo que foram os efeitos do parlamento em conjunto e das políticas mundiais do ‘contexto de época’ que tornaram seus atos acertivos ou errôneos. Temos ainda o Fernando (um rapazinho negro que não quero citar o nome) nos passando o pano afroancestral da vergonha alheia, mas nosso povo lutou muito para ele estar ali, falando merda ou idiotices, porque o país tem em contrapartida vários semelhantes na figura do Jair Messias Bolsonaro, assim como para várias cópias de pastores tipo Silas Malafaia para um único pastor negro Valdomiro Santiago. Ministros brancos desde sempre, e um único Joaquim Barbosa não podia ficar doente que era corpo mole, não podia beber um café num bar que era vinho e não podia beber água que falavam ser pinga. Oras bolas!
Nosso povo está em sua maioria nas favelas, nos orfanatos, nas cadeias, nas casas de correções para menores, ganhamos menos, mortos pela polícia, além de sofrer racismo verbal, psicológico, ocular, institucional e etc. Mas isso não é desonra para o mundo da etnia branca, é o erro que não querem consertar, se negam a isso e nós seguimos lutando para mudar esse quadro. Pelo direito de errarmos e pelo direito de acertarmos. Pelo direito de estarmos lá em todos os lugares que eles estão, estiveram. 50% de erros negros, 50% de erros brancos. Não estamos nessa luta para sublimação da raça humana .Imagino um/a médico/a negro cometendo um erro, como será a vida dos poucos e poucas que temos?
Li num texto de Francisco Antero anos atrás, algo como : as crianças negras não sabem da queda da Bolsa e Valores, nem se o dólar está alto ou baixo, se existe uma guerra no Iraque ou das primeiras guerras mundiais, nem se Barack Obama foi um péssimo presidente ou bom, mas agora elas sabem que podem vir a ser um/a presidente/a de quaisquer países, de uma empresa. Ela se vê lá, pode almejar isso. O garoto Fernando não sabe, mas muitos dos nossos morreram, apanharam, foram ‘suicidados’, presos e torturados para que ele tivesse o direito de agora pregar em contrário. Ele é produto de uma luta ancestral, e tem esse direito de fazer o papel do diabo, para a nossa desdita, nossa infelicidade e decepção. Barack Obama, como disse ainda o amigo Francisco, “é um negro que foi eleito presidente dos EUA e não um presidente dos negros dos EUA.”
As vozes de Zumbi, João Cândido, Nelson Mandela, Martin Luther King, Malcolm X, Dandara, Alquatune, Luiza Mahin, Nzinga, Rosa Parks, Panteras Negras. e tantos outros e outras, ecoam nas nossas vozes exigindo o nosso direito universal de pertencermos à raça humana, com seus erros e acertos. Neste mundo, não tivemos nem a chance de começarmos a acertar e nossos erros, de lugar algum, chega sequer a 1%. Levará uns 5 séculos para isso acontecer. Meio a meio, seria igualdade. Fora disso, é religião que quer nos tornar santos miraculosos, para sermos sempre testados, postos em purificação e sacrifício e pagarmos por todos pecados do mundo que não cometemos. Se eles puderam e podem errar…
Nós também podemos!
Representatividade Importa!
Por: Luh Souza

0 comentário

Deixe aqui o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: